Crise. Ela pode te levar ao sucesso!

Na crise, você chora ou prefere vender lenços?

Crise, todo mundo fala dela. Bom, o título deste post pode ser convidativo, ou fazer você pensar: “-Ah, deve ser uma daquelas matérias para me motivar”. Sim e não, sabe porque? Segundo uma matéria publicada na Exame: Oito em cada dez micro e pequenos empresários consideram que a economia piorou na segunda metade de 2015, mas a confiança para os próximos seis meses teve leve melhora em janeiro de 2016. Estes dados são do indicador de confiança dos micro e pequenos empresários, calculado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL). Obtido pelo jornal O Estado de São Paulo, o índice aponta para ligeira melhora, passando de 40,03 pontos em dezembro para 42,03 em janeiro. Apesar da recessão, o índice que mede as expectativas de negócios aumentou de 54,97 pontos para 58,50 pontos na passagem de dezembro para janeiro.

*A pesquisa ouviu empresários de todos os Estados, nas capitais e no interior. O indicador leva em conta as avaliações sobre as condições gerais da economia e as expectativas para os próximos seis meses.

Estamos cansados de ler, ver e ouvir em noticiários e jornais que a crise existe porque perdemos a credibilidade no mercado internacional, por causa do problema político que enfrentamos, e uma série de fatores. O que nosso mercado deve entender é que crises são cíclicas, segundo analistas e economistas essa que estamos “deve” começar a desaparecer em cerca de dois anos, e é nesse momento que você deve apostar em iniciar seu novo negócio, reformular ou repensar seu negócio atual. Sabe porque? Existe um fundamento estatístico em que vários estudos mostram que qualquer negócio em fase inicial, pode levar até 2 anos para atingir um ponto de equilíbrio. Cerca de três anos e meio para recuperar o investimento inicial. Se você se enquadra no lado em que tem sua empresa estabelecida mas está ficando na “sombra”, é o momento ideal de investir em novas ideias. Mudar, pensar de uma forma não trivial, mas sempre com alguns cuidados, sempre acaba gerando soluções otimistas.

Então chegamos com o pensamento nas velhas máximas:

Onda

Quando falta energia, mais velas são vendidas; Quando falta água, mais água mineral é vendida; Quando o preço da energia elétrica sobe, mais painéis elétricos são vendidos; Quando o desemprego aumenta, mais profissionais precisam investir em qualificação para aumentar sua empregabilidade. Com que você se defende da crise? Não fique preso a nenhum paradigma. Na crise, as cartas são redistribuídas, o dinheiro muda de mão e as chances de subir os degraus é ainda maior.

 

 

Na crise, você chora ou prefere vender lenços?

Acompanhe o blog da triocom, vamos estar postando dicas de como trabalhar de uma forma diferenciada com seu negócio. Ah, para finalizar, um video sobre como pensar diferente sendo um empreendedor:


*Ative as legendas do vídeo.